Logo_novo_rapgol_site
Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

PL visa proibir divulgação de casas de apostas por famosos, entenda

Título com Cor Branca

Contribua com o jornalismo independente

Botão com Dimensões

A Comissão de Esporte (CEsp) do Senado Federal terá um 2024 movimentado pela frente. Uma das sete pautas em discussão é a proibição do uso de celebridades em publicidades de casas de apostas esportivas. Outra que também está em análise e ganhou muito destaque na mídia é relacionado à divulgação instantânea dos áudios e imagens do VAR (árbitros assistentes de vídeo) do futebol brasileiro.

A que passo está a regulamentação das apostas esportivas no Brasil?

O mercado de apostas esportivas no Brasil está sendo regulamentado a passos curtos. Por mais que pareça uma pauta recente na classe política brasileira, esta é uma história que começou lá em 2018.

Naquele ano as apostas esportivas foram introduzidas de vez no mercado nacional com a aprovação da Lei nº 13.756/2018, que permitia a exploração da atividade no país de forma online. A lei também estabelecia um prazo de até dois anos para a regulamentação da prática pelo Senado.

O que sabemos muito bem que não foi concretizado, uma vez que a regulamentação das bets só entrou em vigor no ano passado, com a aprovação da PL nº 3.626/2023. O projeto de lei, hoje vigente, prevê a tributação das empresas do setor em 18% sobre suas receitas brutas e uma licença (outorga) para operar no país com até 3 marcas com prazo de 5 anos e valor de R$30 milhões.

O que está sendo discutido na Comissão do Esporte?

Em poucas palavras, a proibição da utilização da imagem de famosos por marcas do setor de apostas. O projeto de lei do senador Eduardo Girão (Novo-CE) é o que está por trás disso. O PL 3.405/2023 foi aprovado sob recomendação do senador Sérgio Petecão (PSD-AC), relator do projeto, e segue em análise no CEsp. A proposta visa proibir a participação de celebridades na publicidade das apostas em eventos esportivos.

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados irá discutir e votar em audiência pública esta e outras pautas como a proposta de criação do Programa de Transparência dos Árbitros Assistentes de Vídeos e de Áudios no futebol brasileiro (PL 5.926/2019). A PL prevê a divulgação imediata dos vídeos e áudios do VAR (Video Assistant Referee) para o público, tanto nos estádios quanto nas transmissões de TV.

Desde a liberação das apostas em 2018, o mercado brasileiro vem sendo inundado de casas de apostas estrangeiras, e, com isso, um movimento sem precedentes de patrocínios com clubes esportivos e atletas por empresas do setor.

Diversas bets passaram a recrutar embaixadores de marcas famosos no mundo esportivo e estampar camisas de grandes clubes de futebol, além de fechar parcerias publicitárias com craques famosos, como Neymar (embaixador da Blaze), Vini Jr (ex-embaixador da Betnacional), Vampeta (VaideBob) e até personalidades famosas da imprensa como Galvão Bueno (ex-embaixador da Betnacional) e Craque Neto (embaixador da Bet7k).

A exemplo da Sportingbet, primeira casa de apostas a explorar o mercado brasileiro (2007) e que junta forças com um verdadeiro time de celebridades em suas propagandas: os jogadores da seleção brasileira Marquinhos e Marcelo, além do humorista Tom Cavalcante e outros famosos. É justamente a influência da publicidade com celebridades desse “calibre” nos usuários das bets que está sendo discutida na Comissão de Esporte.

O que diz a PL 3.405/2023?

A proposta legislativa apresentada pelo senador cearense Eduardo Girão visa impedir a utilização de personalidades famosas na divulgação de casas de apostas ou bets, como foram carinhosamente apelidadas as empresas como a Bet365 e a Betfair.

Segundo Girão, a utilização destes artifícios na publicidade pode ser abusiva de acordo com a legislação de proteção ao consumidor. O debate em torno do PL 3.405/2023 e de outros projetos sobre a regulamentação das apostas esportivas está ganhando bastante atenção no Senado, mostrando a complexidade e a importância de equilibrar o desenvolvimento econômico com a proteção dos consumidores desta indústria.

À medida que a discussão avança, espera-se estabelecer diretrizes justas e claras para a publicidade de apostas esportivas, demonstrando um compromisso com a responsabilidade social e a proteção dos cidadãos.

PL 3.915/2023

Seguindo a mesma linha do projeto de lei de Girão, o PL nº 3.915/2023, do deputado Ricardo Ayres (Republicanos-TO), prevê a proibição da divulgação e promoção de empresas de apostas e de cassinos por parte de influenciadores digitais ou artistas.

A PL de Ayres considera que o papel de influenciadores e figuras públicas deveria ser compartilhar conteúdos “educativos, positivos e não prejudiciais para a saúde mental e financeira de seus seguidores”, o que certamente não enquadra apelos com referências a jogos de azar, prática comprovadamente aditiva (Fonte: Senado).

O objetivo da proposta é coibir a “divulgação irresponsável de empresas de apostas por parte de influencers”, segundo Ayres (Fonte: Senado). Isso enquadra todas as pessoas consideradas celebridades ou indivíduos com alto poder de influência sobre os apostadores, incluindo atletas, ex-jogadores, apresentadores de TV, comentaristas e outras pessoas com credibilidade e autoridade no mundo dos esportes.

O projeto, então, procura reduzir os perigos associados ao jogo abusivo por meio da proibição da participação dessas personalidades em campanhas publicitárias, especialmente à medida que as apostas esportivas e jogos de cassino com o “Jogo do Tigrinho” se tornam cada vez mais populares e aceitos. A PL recebeu parecer favorável de seu relator, o deputado Fred Linhares (Republicanos-DF), e foi aprovada em dezembro de 2023, na Comissão de Comunicação da Câmara dos Deputados.

O projeto de lei também prevê que os influenciadores declarem seu conteúdo como publicidade e exige que os provedores de internet ajudem na supervisão e remoção de conteúdo promocional sobre jogos de azar. Além disso, a proposta legislativa reitera a proibição da publicidade de empresas de apostas para menores de idade e prevê a responsabilização dos influenciadores por informar sobre os riscos relacionados às atividades de apostas.

A medida segue em análise pelas comissões de Finanças e Tributação, para depois trâmitar pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, antes de finalmente ir para votação no Plenário. Caso a PL passe por todas estas etapas sem mais ajustes, empresas do setor terão que se ajustar à nova regra em um prazo de até 15 dias, excluindo qualquer tipo de publicidade envolvendo celebridades.

foto perfil criaa

Criaa da Zona Oeste do RJ.
Comunicador, fotógrafo, colecionador de camisas de times e camisa 8 no time da pelada.
Trabalhando com notícias e informações desde 2002.

Caso voce tenha perdido

Rapgol Magazine - 2024, todos os direitos reservados por R4PRESS AN